sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Frank, o melhor bar de São Paulo


Queria mesmo era ir no Bar do Fogaça, o Admirals Place, mas estava fechado para reformas. Acabei escolhendo o Frank, considerado o melhor bar de São Paulo e um dos 50 melhores do mundo. E não me arrependi! Fica dentro do Macksoud Plaza, pertinho da Paulista.



O cardápio de drinks é infinito. Escolhi esse da foto de cima, mas confesso que não tenho ideia do nome. Eu gostei. A minha amiga escolheu o da foto abaixo, o Hawaiian Room. Estava bom, também.


E para petiscar, tábua de frios e de brusquetas.



domingo, 9 de setembro de 2018

Restaurante Arturito - SP


Nesse prédio simples da Artur de Azevedo, em Pinheiros, é que fica o Arturito, o restaurante da Masterchef Paola Carossella. Ano passado, tentei vir e, como não tinha reservado, não consegui. Neste ano de 2018, foi uma das primeiras providências. No fim, em razão da greve dos caminhoneiros, não estava lotado, mas vai saber, né? Não queria perder essa oportunidade.

Bem, o restaurante não é grande. É muito bem atendido e obrigatoriamente tem que provar o pão feito lá, cuja fermentação é natural e é servido como entrada, com manteiga e azeite de oliva. 




Ainda, pedi uma empanada salteña ( carne, batata, ovo caipira, azeitona e páprica doce) e um coquetel, o Apero Spritz, Aperol, espumante, club soda, laranja.




Para o prato principal, pedi Pappardelle com ragu de linguiça artesanal de porco Montau e ricota fresca e a minha amiga pediu o menu do dia, terça-feira, peixe fresco com alcaparras, limão, salsinha e abóbora assada.



De sobremesa, mousse de chocolate. E para finalizar, café.



Hummmm... só de lembrar me dá água na boca! Eu adorei ir lá. Pena que não a vi, embora tenham me dito que ela estava... Quem sabe ano que vem dou sorte?!



sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Terraço Itália - SP


Não estava nos planos, mas o motorista do Uber indicou o Terraço Itália para o pôr-do-sol e lá fui eu. Um dos rooftops mais famosos de São Paulo, paga-se R$ 35,00 por pessoa, com direito a uma taça de espumante, para se fazer a visita.

Tem um bar e um restaurante chiquérrimos por lá, com uma vista linda da cidade. Até a Rainha Elizabeth II já esteve fazendo exposição da figura nesse terraço.


Ao lado, o famoso prédio em S, o Edifício Copan. Ao fundo, a torre da Avenida Paulista. 





E o que dizer desse entardecer? Nada! Só curtir, mesmo com o friozão que fazia lá em cima do 41º andar.




Depois desse espetáculo todo, voltei para o Ibirapuera para assistir ao concerto, como contei no post anterior. Foi um dia intenso, mas maravilhoso pelas ruas de SP.



domingo, 2 de setembro de 2018

Restaurante Le Bife by Érick Jacquin


Ano passado eu não consegui ir no Arturito, da Masterchef Paola Carossella porque não tinha reservado. Neste ano, 2018, reservei as passagens, o hotel e os restaurantes Le Bife e Arturito. Minha ideia era fazer um Circuito Masterchef, mas ficou faltando o do Fogaça. Não tem problema, 2019 está aí!

O Le Bife fica dentro de um hotel e tem o cardápio assinado pelo Erick Jacquin, o francês gordinho nem sempre simpático, mas engraçado, do programa da tv. O prato é único: você escolhe a proteína e os acompanhamentos vêm na mesa (salada, batatas fritas e farofa) ou ficam passando para você se servir à vontade (creme de espinafre, legumes, massa, cuscuz marroquino, etc.).

Escolhi o entrecôte premium black angus, que veio no ponto para menos, como escolhi, acompanhado de molho de mostarda Dijon. 


O restaurante não é muito grande e precisa ser reservado. Tive muita sorte que SP estava vazia nesse período. Mesmo assim, não contei com a sorte. Reservei.




O coquetel aí de cima foi indicado pelo garçom. Chama-se Ana Bráz, e é feito com vodka, xarope de romã, limão, hortelã e água com gás. Bem bom. De sobremesa, Crème Brûlée, maravilhoso!



O preço é padrão SP. Barato não é, mas é uma vez no ano só... hahahahaha




sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Parque Ibirapuera - SP


Fui a São Paulo em maio deste ano para mais um Congresso Planeta Verde. Como tinha trabalho para apresentar, fui no sábado de manhã, bem cedinho. No domingo, uma cidade ensolarada e vazia, em razão da greve dos caminhoneiros, convidava para um passeio. E comecei pelo MAC USP, como contei no post anterior.

Atravessei o viaduto sobre a Avenida Pedro Álvares Cabral e cheguei no Parque, que ainda não conhecia. Muitas famílias passeando, muitas pessoas se exercitando e um clima muito legal.


Tinha por objetivo visitar o MAM - Museu de Arte Moderna, mas ao conferir as exposições, desisti. Preferi passear ao ar livre e desbravar todos os cantinhos do Ibirapuera.



Fui conferir de perto o Obelisco e o Auditório Ibirapuera, projetado por Oscar Niemeyer e tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Descobri que haveria um concerto ao ar livre no final da tarde.



O parque possui 158ha e é a área verde mais visitada e fotografada de SP. Foi inaugurado em 1954 e foi tombado como patrimônio histórico de São Paulo. Os jardins foram desenhados pelo paisagista Otávio Augusto Teixeira Mendes.



O Monumento às Bandeiras foi inaugurado em 1953, por ocasião dos 400 anos da cidade, e homenageia os Bandeirantes, que cruzavam as terras brasileiras nos séculos XVII e XVIII. Seu autor foi o escultor Victor Brecheret. Possui 11m de altura, 8,40m de largura e 43,80m de comprimento. Está direcionado no sentido sudeste-noroeste, que significa a entrada das bandeias sertanistas em busca de terras no interior. O mapa do Brasil existente na face frontal do pedestal foi desenhado por Affonso de E. Taunay e apresenta os percursos executados pelos desbravadores.


Dali, segui para o restaurante Le Bife, Avenida Paulista e Terraço Itália. Retornei no final da tarde para assistir à Sinfonia Samsung Rock - Volume 2, com a Orquestra Juvenil Heliópolis e participação especial de Samuel Rosa (Skank), do Rodrigo Suricato (Barão Vermelho) e Lari Basílio (vencedora do Samsung E-Festival em 2014). Que noite para ficar na memória!


Na terça-feira bem cedinho, voltei ao parque, mas desta vez para correr. Fiz meus 5km por suas rotas e curti muito o espaço.



São Paulo sempre deixa um gostinho de 'quero mais'. Em 2019 estarei lá novamente.




domingo, 26 de agosto de 2018

Museu de Arte Contemporânea da USP - MAC USP




Em 1963, quando a USP recebeu o acervo do antigo Museu de Arte Moderna de São Paulo, foi criado o Museu de Arte Contemporânea, o MAC USP. No acervo, obras adquiridas pelo casa Yolanda Penteado e Ciccillo Matarazzo, as provenientes das bienais e, também, as do MAM. Pelos corredores, veem-se obras de Amedeo Modigliani, Pablo Picasso, Joan Miró, Alexander Calder, Wassily Kandinsky, Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Emiliano Di Cavalcanti, Alfredo Volpi, Lygia Clark e uma enorme coleção de arte italiana do começo do século XX.

O prédio é de autoria de Oscar Niemeyer, construído nos anos 1950. Atualmente, abriga cerca de 10 mil obras e recebe exposições temporárias.

O acesso é gratuito.



Tarsila do Amaral



O Museu está na Avenida Pedro Alvares Cabral, nº 1301, em frente ao Parque Ibirapuera. Funciona diariamente, das 10h às 21h, exceto nas segundas-feiras. 

A obra de que eu mais gostei? A do gato, claro, de autoria de Nina Pandolfo, intitulada Um amor sem igual, de 2011.


sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Restaurante A Canga - Comida húngara - São Sebastião do Caí/RS


Conheço o restaurante A Canga há muitos anos, mais de 20, com tranquilidade. E sempre tenho comigo o sabor de um de seus pratos: o Töltött Paprika, ou seja: pimentão recheado no molho agridoce. 

Fazia alguns anos que não ia lá e na volta de Canela, decidimos passar por lá para ver como estavam as coisas (e saborear a comida húngara que é servida). Bem, ele não mudou, nem física, nem gastronomicamente. Ufa!



Continua situação às margens da RS-122, Km 9, em São Sebastião do Caí, com sua decoração simples. O restaurante já completou 50 anos e segue sendo atendido pela família.



Bem, mas vamos ao que importa, né? A comida! O cardápio é fixo, embora possua duas  formas: a mais completa e a mais simples. Desta vez, até para fazer a matéria, pedimos a versão maior, que custou R$ 63,80 por pessoa (ao passo que o outro custa R$ 49,40 por pessoa).

Aos pratos: 

De entrada, essas duas sopas: a da direita é a Aprólekléves, feita com uma massinha caseira e miúdos de galinha. A da esquerda, é a Foghagyma Leves, feita de alho. Forte, mas saborosa!


Foghagyma Leves

Aprolékléves

Na sequência, Pörkölt Gulyas, um gulash de carne vermelha, acompanhado de Nokedly (massa caseira - no alto da foto), Uborkasaláta (uma salada de pepino com molho de nata e páprica), Vegyes Saláta (repolho, cenoura, pimentão, pepino, brócolis e cebola).


Pörkölt Gulyas



Mas o melhor estava por vir: o Töltött Paprika (pimentão recheado com carne moída e arroz e molho agridoce), Rántott Csirke (frango à milanesa); Sült Burgonya (batas fritas), Csirke Tekercs (rolinho de frango frito) e Fasírt (bolinho de carne frito).

Töltött Paprika

Fasírt, Csirke Tekercs, Sült Burgonya e Rántott Csirke  

E para encerrar esta orgia gastronômica, optamos pelo Fagylaltos, apenas.

Fagylaltos

Esses pratos são vendidos ali mesmo, congelados. Adivinha o que eu trouxe para casa?! Abaixo, o cardápio.



Tem, também, uma lojinha com souvenires, mas confesso que nem olhei. E, ao lado, tem um parquinho para a criançada se divertir. Geralmente o restaurante está lotado. Se não quiser esperar, chegue cedo ou reserve antes.

Acompanhe as novidades pelo Facebook.

Recomendo!!!!